14º GP RA4 e Noturna 2012

Com a sua imagem de marca “Partidas em Massa” disputou-se no Sábado 16.06 o 14º Grande Prémio do RA4, nesta edição complementado por uma prova Noturna

Pode ver aqui um conjunto de fotos recolhidas durante a prova e diversos percursos de alguns dos escalões.

https://picasaweb.google.com/f.reinoite/XIVGPRA4Orientacao?authuser=0&authkey=Gv1sRgCLDo_7yV97e1fg&feat=directlink

https://picasaweb.google.com/116601247865404681143/RA4_16_junho_2012#


Para visualizar os resultados consulte aqui na página da prova no site do COC

www.coc.pt/eventos/16jun2012/

Ou consultando aqui no OASIS

http://www.orioasis.pt/oasis/results.php?eventid=1110&action=view_stages

Prova pontuável para a Taça de Portugal nível 2, Campeonato Nacional Universitário (pelo segundo ano consecutivo) e com a etapa Noturna enquadrada como prova local, esta foi a edição do RA4 cuja primeira se disputou em 1999 no mapa da Torre Batalha, com a particularidade de nessa edição em simultâneo se ter disputado na disciplina pedestre e BTT.

Não nos vamos aqui alongar nos preparativos da prova, nas suas especificidades, na preocupação de evitar que se formem “comboios” de ataque aos pontos, na distribuição das variantes dos percursos pelos atletas, na personalização dos mapas ou na implementação da prova no terreno.

Vamos sim deixar aqui um conjunto de testemunhos recolhidos aqui e ali, umas vezes nas entrevistas que a nossa speaker Patrícia Casalinho foi fazendo, outras retiradas das redes sociais ou de mail que entretanto fomos recebendo.

Quem não pode estar na floresta, poderia ter assistido ao vivo e em direto à prova (imagem e som) em mais uma das inovações do Leonel Vieito/COC e que serão alvo de afinações para que possamos voltar a transmitir para o mundo com mais qualidade e em sinal aberto o nosso WRE do Osso da Baleia em Fevereiro de 2013

Então aqui ficam alguns testemunhos, que por razões editoriais não divulgamos a sua origem

Surpresa quando do tiro de partida… muitos dos atletas não estavam preparados para ouvir o tiro da G3 … já é uma imagem de marca.

 O formato goste-se ou não tem desafios diferentes, a partida em massa, o tentar deixar para trás ou tentar seguir um elemento do mesmo escalão que está a fazer o mesmo loop, o voltar ao ponto de central onde o COC mantém uma claque a tentar destabilizar quem passa (uma dificuldade acrescida), etc. são situações que tornam este tipo de provas diferentes e por isso únicas;

Um dos problemas é o acompanhamento destas provas, como os loops são muito diferentes só quando terminam é que temos noção de como está a competição, as passagens não são indicativas dos posicionamentos. Mas também como todos os atletas estão a participar, a Patrícia estava a servir de speaker basicamente para a organização, alguns acompanhantes e para o atleta que passava saber como estava, o que poderia não querer dizer muito devido a esta questão dos loops serem diferentes;

A visualização da participação dos atletas, pela passagem pelo ponto Loop/Observador, junto à arena proporciona bons momentos de prova associado à da intervenção do speacker. Digamos que se sente e vive o desenrolar da prova na Arena, penso ser muito bom quer para a organização quer para os efeitos mediáticos.

Seria interessante que este modelo fosse ajustado de modo a que cada escalão tenha loops muito idênticos com alguns pontos comuns e outros diferentes, de modo a criar uma grande pressão nos participantes, obrigando-os a estarem muito concentrados no seu mapa/percurso/ponto. Eu por exemplo fiz a minha prova sempre sozinho e já só num dos últimos pontos vi um adversário.

Como sempre diverti-me bastante! O COC esteve mais uma vez de parabéns!

Eu também gostei de lá estar… Não estava à espera de subir ao pódio e por isso soube ainda melhor! Espero que também tenhas gostado da experiência num mapa de pinhal, muito técnico mas também exigente fisicamente…

Duas palavras muito simples para descrever a prova… Uma M…! Amigo o que não correu bem, foi a tua prova em si ou a prova no geral? A minha corrida. A prova em si sempre muito boa, uma prova à COC… Estou a cometer erros incríveis!!!!!!!!!!

Vejam lá se não escondem muitos os pontos à noite porque vou levar dois atletas que nunca fizeram noturnas no pinhal e olha que vou de propósito para a vossa prova! – Comentário trocados sábado meio da tarde.

Resposta domingo de manha – A noturna foi excelente! Valeu fazer 300kms. Percurso tecnicamente muito difícil que obrigou a uma precisão muito grande nos azimutes (o terreno estava perfeito, limpo) e nos detalhes do relevo. O mapa simplesmente perfeito. O traçado adequado à dificuldade do escalão conforme anunciado. É pena que a adesão tenha sido fraca, mas para quem adora orientação fazer estas noturnas são excelentes para apurar a técnica. Foi cerca de 1h45 mas nem se deu pelo tempo passar. Voltarei certamente! Ah… 1 Lugar claro (passeando sempre a sua classe)

 

Pois, se fosse de dia ainda tinha margem para arriscar em navegar por azimute nesses dois pontos! Mas fui pelo seguro e segui os caminhos, só ia saindo quando era necessário! Uma navegação por azimute de noite (ainda) me impõe algum respeito 🙂

O Desporto Universitário mantém interesse em manter a prova do Campeonato Universitário de Orientação a cargo do COC. Foram abordadas algumas alterações relativamente aos escalões de participações, pelo que ficaram recetivos para se proceder a alterações que tragam mais participantes e mais competitividade.

Ainda uma referência ao coordenar do programa PNED, antigo escuteiro, tinha algum conhecimento de orientação em cartas militares, teve oportunidade de fazer um loop de 6 ou 7 pontos gostou, ficou admirado com a logística deste tipo de provas, o facto de irmos ao pormenor de ter o baby-sitting, etc.; A Orientação aqui ficou bem vista. 

As pernadas eram desafiantes pois além do relevo encontravam-se zonas com alguns fetos que dificultavam a progressão e a visibilidade”,

O sistema de loops obriga a uma grande concentração e os comentários efetuados no ponto central levam muitas vezes à desconcentração do atleta

A ausência de luar ainda dificultou mais a tarefa dos participantes na Noturna”.

Por curiosidade aqui ficam alguns números desta prova

Foram traçados 26 percursos distintos, 4 com 2 variantes e 22 com 6 variantes o que equivaleu a 140 ficheiros distintos na gráfica a que se juntaram mais 26 ficheiros das sinaléticas suplementares. No terreno foram colocados 79 pontos na etapa da manhã, enquanto na noturna e para os 7 percursos foram colocados 55 pontos no terreno.

O 15º GPRA4 já está a mexer conscientes de que quem vem às provas COC quer encontrar qualidade.

Esperamos que o CNU (Campeonato Nacional Universitário) volte a ser disputado no RA4 2013

Um agradecimento especial ao RA4, à FADU, à FPO, à Vitalis e um grande e especial agradecimento a todos os sócios do COC que puseram esta prova no terreno mantendo a nossa marca de qualidade.

 

Deixe um comentário

Nota: A moderação de comentários está activa, o que vai atrasar a sua publicação. Não há necessidade de re-enviar o seu comentário.