Quarteto do COC no WMOC 2012 – II

Joaquim Sousa classificou-se hoje em 5º lugar no Sprint no Mundial de Veteranos, com o tempo de 14:43 tendo-se sagrado vencedor  o Dinamarquês Thomas Jensen com o tempo de 13:59.

Segundo informação que recebemos do próprio Joaquim Sousa , “Um erro de leitura no antepenúltimo ponto deitou a perder o segundo lugar o que equivaleria a repetir a prata conquistada em 2011 na Hungria. Fiz um aprova “muito” boa, mesmo tendo estado muito stressado até ao apito inicial, fiz todas as opções sem hesitar, tentando não perder tempo nas decisões, fiz tudo bem até ao ponto 15º, onde a saída do ponto 14º, tive de parar, pois o local do ponto (15) não esta bem perceptível (se dentro, se fora do muro), perdi alguns “preciosos” segundos, até perceber que o ponto tinha que estar fora do muro (sul), pois não há acesso a parte de dentro do muro, não percebo o porquê de estar a branco uma zona com rede intransponivel e sem visibilidade para dentro, quando a volta esta tudo a privado, mas o pior não foi aí, muito pior, foi quando tentei fazer o acesso ao ponto 16, conturnando o monte pelo lado esquerdo, sempre pela estrada, evitando os jardins, o problema foi que não vi o muro intransponível (no mapa parece cinza, mas esta a preto), depois desse erro mais nada havia a fazer. ” 

Pl Name YB Club Text1 Time
1 Thomas Jensen 71 Tisvilde Hegn OK DEN 13:59
2 Yuri Omelchenko 71 OK Orion SWE 14:19
3 Jari Ikäheimonen 72 Turun Metsänkävijät FIN 14:22
4 Richard Barrett 70 BAOC GBR 14:24
5 Joaquim Sousa 70 Portugal O Team POR 14:43

Quanto a Ricardo Oliveira que também disputou a final A classificou-se em 42º com 20:52 contra os 15:05 do vencedor que foi o Finlandês Petteri Muukkonen.

Conforme relato do Ricardo “Hoje na final A de sprint do campeonato do mundo de veteranos M 35, entrei a 200 à hora, fartei-me de cometer erros e ainda por cima uma queda, tirou-me a saúde da anca, do cotovelo e do garmin 305 forerunner que ficou aberto ao meio!! Felizmente o relógio era emprestado pelo Albano João, pois o meu foi para Espanha para ser substituído por 1 nova unidade…”

Albano tiveste azar!!!

Os nossos outros dois companheiros presentes na final B de M45 e M 55 respectivamente José Bolrão e Rui Antunes, tiveram sortes diferentes.

Bolrão fez um honroso 26ª lugar com o tempo de 20:28 (vencedor fez 16:20), enquanto o Rui Antunes acabou por fazer um MP, o que não é muito habitual nas suas provas.

Amanhã teremos o dia de descanso e model event da longa a que se seguirão depois na quarta e quinta feira as duas qualificatórias da longa.

Reiteramos aqui os votos de boa sorte na Longa para o nosso Quarteto, extensível a toda a sua comitiva que este ano marca presença na Alemanha

2 Respostas

  1. Rui Antunes Says:

    Boa Noite;

    Espero que não estejam muito dececionados com a minha pobre prestação no sprint.
    Realço que desde que me considero velho e isso já acontece há alguns anos, achei que era altura de dar lugar aos mais novos nesta vertente e daí para cá como se pode verificar deixei de participar em definitivo em provas de sprint.
    A última em que tinha participado, já datava de 2010 WMOC Suiça.
    Acho que o sprint é uma prova que deve ser acarinhada como promoção da modalidade, mas continuar a chamar prova de sprint a um evento que apenas e só por se desenrolar num determinado tipo de terreno e ser mais curta que todas as outras é um erro, principalmente no caso dum campeonato do mundo de veteranos onde é muito comum ver-se uma grande percentagem dos participantes a (sprintar) caminhando.
    Abço a todos e prometo que vou tentar fazer melhor na longa apesar de não estar fisicamente, minimamente preparado. Veremos o que acontecerá.

    Rui Antunes

  2. Anabela Vieito Says:

    Parabéns a todos! mas em especial ao Bolrão que na sua estreia internacional quase que conseguia ser campeão da final B 🙂
    BJS.

Deixe um comentário

Nota: A moderação de comentários está activa, o que vai atrasar a sua publicação. Não há necessidade de re-enviar o seu comentário.