Quarteto do COC no WMOC 2012 – III

Percurso do José Bolrão com a sua trilha

Disputou-se hoje a primeira qualificatória da Longa, numa luta acesa para o acesso à tão desejada final A.

Joaquim Sousa com o 4º lugar com 1.17:55 (3 mangas no total de 143 atletas no M 40) deu um grande passo para a almejada final A.

Relativamente aos nossos restantes companheiros aqui ficam os seus resultados e a nossa opinião (falível e à distância) quanto aos ditos acessos às “A’s

M 35 Ricardo Oliveira fez 38º lugar com 2.12:40, escalão com 2 mangas no total de 103 atletas. Tarefa difícil do Ricardo mas são desafios difíceis que mais o motivam.

M 45 José Bolrão fez  46º lugar com 1.57:07, escalão com 3 mangas no total de 157 atletas. Parece-nos que o acesso à final A terá sido comprometido, mas lutar pela B é possível e desafiante

M 55 Rui Antunes fez 32º lugar com 1.03:50, escalão com 4 mangas no total de 294 atletas. Difícil a tarefa do Rui, mas quem o conhece sabe que ele é capaz de fazer uma segunda qualificatória de alto nível técnico. Daqui e sem conhecer o terreno não é fácil prever, mas certamente será tanto menos difícil para o Rui subir na classificação quanto mais técnica for a prova.

Quem melhor para nos contar o que se passou hoje na qualificatória do que alguém que lá tenha estado. Assim hoje temos o José Bolrão a na primeira pessoa, ilustrando o seu relato pelo seu percurso e pela sua trilha.

“Hoje levantei-me ainda nas nuvens em função da minha fabulosa prestação na final de sprint unanimemente reconhecida no seio da comitiva.

Assim sendo, encarei a prova com a moral e o nivel de confiança relativamente elevados.

Ataquei o 1º ponto com toda a convicção de que as coisas me iriam sair a contendo, baseado nas indicações do treino efetuado na véspera no mapa do model event.

Na generalidade, tirando algumas hesitações( 5, 8, 16, 20) e outros tantos erros primários ( 12, 15, 17) (devido á minha ainda pouca experiência) e que me levaram a perder muitos minutos preciosos e consequentemente a minha desejada presença na final A. Mas amanhã irei tentar os impossíveis para contrariar as indicações deixadas hoje.

Relativamente ao terreno onde se desenrolou a competição, era na generalidade aberto mas ainda assim, de dificil progressão devido aos galhos dos pinheiros nórdicos que vinham até á altura da nossa cintura.

Também em algumas zonas o terreno estava pejado de pedras sendo que apenas algumas delas estavam representadas no mapa conforme as zonas e ao critério do cartógrafo.

Havia também, cerca de um terço do mapa com floresta de difícil visibilidade e com pontos no seu interior, o que complicava a sua localização.

Penso que acabei por realizar uma prova bastante razoável e assim sendo estou satisfeito com a minha prestação.

Resta dizer que o grupo está coeso e sinto o apoio de todos.

 Abraço para todos

José Bolrão” 

Resta-nos desejar-vos boa sorte para amanhã, arrisque tem que arriscar e defenda-se quem tem que defender.

Esperamos pela vossa crónica da 2ª qualificatória, mapa, trilha e fotos para aqui virmos postar.

Deixe um comentário

Nota: A moderação de comentários está activa, o que vai atrasar a sua publicação. Não há necessidade de re-enviar o seu comentário.